“Eu estava errado” | Preparando um Ironman com Phil Maffetone

Poder dizer essas palavras nem sempre é fácil. Sim tranquilizadoras já que é capaz de detectar de onde esteve o erro.

A menos de um mês da Maratona de Barcelona, decidi não apresentá-la, apesar de ter treinado. Por quê? É uma maratona que eu já participei em três ocasiões, sempre com grande ilusão. Correr na minha cidade é desafiante, estimulante e encorajador. Mas, infelizmente, não tenho ilusão, nem estou motivado e menos incentivada a atirar a correr 42 km em um percurso que conheço bem as suas dificuldades, seus segredos, seus defeitos, etc., Não me faz ilusão alguma, e eu decidi não apresentá-la.

Rodei cinco maratonas no total, três vezes a de Barcelona e duas vezes a maratona do Ironman de Zurique. Grande erro, habérmela posto no calendário como desafio. Desde então não fico com remorso algum, não me sabe mal, mas eu acho que por muito bem treinada que possa estar bem alimentada, e muito saudável que estivesse, sem motivação, não há informações sobre para mover. Em algum momento eu poderia ter um pouquinho do corpo ruim por não fazê-la, mas logo me vieram as palavras de Phil à mente. “Just do it for fun, always” (feixe de fazer as provas, só por diversão.)

Curioso, mas sabemos que é assim, uma pessoa motivada é capaz de mover terra, céu e mar. Uma pessoa não motivada, não é capaz de mover um alfinete. Treinar a cabeça é crucial e, nesta ocasião, não me vejo nem colocando o despertador para as 4:00.m. Em fim, não passa nada, de todas as maneiras, não tinha pensado isso 🙂

Um momento da maratona de Barcelona

Um momento da maratona de Barcelona

A maratona de Barcelona é fantástica, é assim, eu tenho de dizer, que eu não esteja devidamente fundamentada, não significa que as três vezes que tenho corrido não o tenha gostado, sofrido com o melhor ânimo, vontade e entusiasmo do mundo, desta vez não se apresenta entusiasmante. Mas repito que é uma grande maratona, muito bem organizada e nota-se que os organizadores têm muita experiência e o fazem com carinho.

Falei com Ester, o meio Ironman de Vitoria é claro que manter o calendário, não conheço pessoa que eu não tenha falado sobre essa prova com grande entusiasmo. Estamos nos preparando para poder fazê-lo bem.

Você pode deixar cair provas do calendário, mas isso não significa que a mente não tenha novos desafios que me pudesse levantar.

Um deles, que eu adoraria fazer, o que eu disse já com Ester também e incentiva-me a fazê-lo, sem dúvida, o Caminho de Santiago a pé, desde Roncesvalles. O Caminho eu já o fiz a partir deste ponto de partida há cerca de 8 anos em btt, agora seria fazê-lo a pé. Dizem que percorrer esses 800 km, cerca de um mês. Eu quero fazê-lo em condições e, havendo treinado, treinado as pernas para chegar no melhor estado possível, com o qual houve uma baixa no calendário, mas também tem havido um novo desafio. Acho que caminhar durante 30 dias fazendo o Caminho é uma experiência pessoal que me motiva, emociona e incentiva.

Alguém de vocês já fez o Caminho?

Leave a Reply