Eu vou introduzindo o equívoco | Fitness Sport Life

Se eu prisão comigo mesmo há 10 anos, tenho a certeza que me faria uma critica feroz do que dizia e fazia. Quando se avança e tem opiniões, às vezes, você está errado, mas isso é bom, faz parte do aprendizado. Algumas vezes se afianzas em seus critérios e outras vai mudando o discurso, e, sim, tenho de reconhecer que há algo de CrossFit que não entendi há muito tempo e não foram os seus conteúdos, mas a sua filosofia, a sua atitude e há pontos de vista que felizmente mudou.

Há 10 anos, 2 ou ontem eu disse coisas e tinha critérios que hoje vendo as circunstâncias a partir de outros pontos de vista felizmente vou modificando, você pode criticarme o que dizer hoje, mas com certeza você encontrará muitos artigos, vídeos e ideias de há muito tempo, que hoje em dia eu nem estou de acordo com elas. Meu trabalho é colocar em dúvida tudo aquilo que vejo e faço, mesmo comigo mesmo, por isso hoje faço e digo coisas que ontem não dizia e, embora o discurso pode ser longo e ter alguns pontos de vista em que não estou de acordo, posso dizer que, em algumas conclusões para Crossfit não fui muito bem sucedido. Mas o certo é que cada vez que cometo um erro, me parece descobrir uma verdade que não conhecia.

É fácil conviver com todo o mundo, apenas há que ser condescendente e louvar tudo o que sai no mercado, tudo o que as marcas se pagam e tudo o que lhe oferecem a mudança, no entanto sempre fui crítico com aspectos e métodos que me custa ver, qualquer um que me seguir pode ver minhas críticas para os hipopresivos, companhias de fitness, plataformas vibratórias, chinelos e pulseiras milagrosas, modelos de academias, etc., Em algumas ocasiões me equivocaré e a única forma de retificar é que pessoas como vós deis um toque de atenção, não como critica destrutiva, mas construtiva, rebatiéndome no que posso estar errado, meus artigos, fóruns e blog estão abertos para comentários, animo-vos a que vos associeis, gosto e acima de tudo aprender de contribuições e pontos de vista diferentes, que desde então não consigo nem chegou a prever, desde o primeiro momento. Ninguém gosta de receber críticas, acho que é uma forma de entrar em dúvida, de continuar aprendendo e voltar a dar a minha opinião, então, agradeço estas ou outras críticas.

Com o tema do Crossfit, o certo é que estou fazendo CrossFit como tal alguns meses, mas a verdade é que eu fiz esses movimentos toda a minha vida; treinei ginástica esportiva durante anos e anos de faculdade no antigo INEF, treinava em uma academia de atletas, onde só havia barras e discos, assim que trabalho com autocargas, anilhas, saltos e arrancadas já vinha fazendo há muito tempo, só que já não havia lugares para treinar bem, até que chegou CrossFit, para mim não é uma moda cool, nem é meu primeiro contato com esses conteúdos, nem é que agora tenha mudado a este tipo de treinamento. Não é nada novo, é o treinamento atlético de toda a vida, mas o que se adicionam os centros CrossFit é a possibilidade de, pelo menos, poder fazê-lo em um local adequado e, em seguida, com uma atitude muito diferente da do ginásio, por isso sinto-me à vontade para treinar CrossFit, mas que você pratica não significa que partilhe a 100%, eu também faço triatlo, musculação em academias de ginástica, aulas coletivas e nem compartilho 100%, continuarei colocando em dúvida tudo o que tente e se eu estiver errado, o que eu tenho certeza que farei, sempre estais vós para participar, dar um toque de atenção e abrir um diálogo construtivo onde todos coloquemos em comum pontos de vista diferentes.

O que mais aprendi foi na Faculdade ou no meu Master, mas observando o que se passa no mundo real, de opiniões de outros profissionais, de pessoas com visão, que conseguiram aportarme outros pontos de vista e conseguiram que me fizesse perguntas, mais do que dar-me uma verdade absoluta.

Espero continuar recebendo críticas e pontos de vista diferentes, o que faz hoje, serão sempre bem recebidas, mas também rebatidas e discutidas se merecem.

Eu não sou tão bom como pensais, eu costumo errar bastante, é mais, há muitas pessoas e profissionais que sabem muito mais que eu, no que eu sou bom é em abrir diálogos, em traçar caminhos para que o público chegue a se conectar com outros métodos ou que tenham a capacidade de ser críticos, que pensem por si mesmos, que ponham em dúvida o que fazem e que duvidem de tudo o que eu digo, com isso estarei satisfeito, em seguida, o mercado e o mundo real se encarregarão de fazer a seleção natural.

E citando Goethe, “O único homem que não erra é aquele que nunca faz nada”, então, eu vou continuar equivocándome

Leave a Reply