Os bons propósitos para o ano de 2013. Versão Sport Life

Ano Novo, vida nova. O ano de 2013 se apresenta incerto e tristón, e é que as minhas lesões vão de acordo com a crise mundial… mas não desespero nem me abato, nada melhor do que fazer uma lista com as coisas que eu gostaria de fazer este ano, realista e positiva. Aceitam-Se sugestões, sempre que meus joelhos gostar do plano!

1. Começar a andar de skate. Sim, para o meu aniversário, em outubro, eu pedi uns patins perante o prognosticador diagnóstico do traumatólogo ao ver minha ressonância: se eu queria fazer maratonas, melhor em patins. Mas… ainda não os usei, então eu peço aos Reis Magos, um curso com www.madridpatina.com para começar do zero e não ter mais desculpas.

2. Apuntarme a Crossfit de verdade. Meus devaneios com o crossfit são breves, mas intensos. E como eu tenho medo de ganhar quilos se sob a quilometragem correndo por que não apuntarme a duas sessões de crossfit por semana? A gordura derrete rápido e trabalho em todo o corpo para não perder musculatura e evitar lesões. E eu não tenho desculpa porque acabam de abrir um box aqui ao lado do trabalho: http://urbanboxcrossfit.com/

3. Um desafio solidário com www.mundocooperante.org. o ano de 2012 me trouxe a Mônica Batan, uma atleta maratonista que une cada desafio solidário a um esportivo, como correr uma maratona, por Masai Mara para dar a conhecer a problemática das meninas que fogem da mutilação genital feminina no Quénia; há que ajudá-la Como? Eu já tenho o meu pulso masai contra a mutilação genital feminina, por 5 euros emponderas as meninas e as ex-mutiladoras ao comprar o artesanato local e dar a conhecer a sua problemática, levando a pulseira, além disso, os desenhos são muito originais.

4. Controlar minha alimentação. Sim, eu sou de comer de forma saudável, com minhas saladas, meus legumes e tudo a ferro, mas eu perde o chocolate! Sempre preto de 75% para cima, com tanta crise, zíperes e stress, há dias que o não passar de 3 onças acaba por volta das 12 horas da manhã. E não há treino que o fôlego! Assim que eu começo o ano quitándome quilos com uma cura de chocolate: uma semana sem nada, e voltar aos meus 3 onças como muito no dia.

5. Começar bem o dia. O ano de 2013 trouxe-me uma grande amizade… a partir de uma entrevista de súpermamás atletas na Sport Life conheci Lourdes Torres. Uma incrível mulher que passou de não fazer esporte para fazer um Ironman em dois anos. Depois do artigo continuamos em contato e nos tornamos boas amigas, trocamos receitas, truques, dicas angústias das mães e muitas risadas. O muito que sabe de nutrição e de alimentação esportiva! graças a ela eu descobri a cúrcuma… uma raiz que tem que tomar a cada manhã em jejum e que coloca as pilhas, além de que diminuiu os meus sintomas de alergia e eu não pego nenhuma gripe… você sabe raro, mas você se acostuma rápido!

6. Seguir com o método hypopressive. Desde que minha amiga louca Moto Quando eu descobrisse os abdominais hipopresivos há um ano não voltei a fazer um abdominal dos de antes. Agora, cada dia dedico entre 15 e 20 minutos para fazê-los e não só recuperei a cintura de antes da gravidez, além disso, ajuda-me a concentrar-me cada dia e ser mais consciente do meu corpo quando eu faço esporte ou quando trabalho tantas horas sentada na fitball. Moto sabe o quanto me custou fechar o reto abdominal depois de anos de correr muito mal dando por perdida a minha barriga… mas havia uma solução, menos mal, e agora tento que o meu ‘cinturão abdominal’ trabalhe de forma insconciente cada dia.

7. Correr com ChiRunning. Graças a outro artigo da revista que sairá em Janeiro de 2013 pude testar o sistema do Correr Chi ou Chirunning que tão na moda está nos EUA em Barcelona está Rebecca Smith www.runnergise.com, instrutora qualificada pelo método de Danny Dreyer, que em uma divertida e interessante classe de frente para o mar me ensinou a base de ChiRunning e corrigido a minha técnica de carrer. Surpreendentemente, quando eu chirunning não me doridos os joelhos… e além disso eu vou um pouco menos lenta… que no meu caso anima muito!

8. Fazer desporto em família. E é que a experiência do Caminho de Santiago em bicicleta em família neste verão juntamente com a família Pajero-Dominguez tem sido incrível. As crianças adoraram e encontramos uma forma de que tivessem bom ânimo para fazer exercício com amigos, dormindo em albergues, aprendendo geografia e história…, eu fiquei com vontade de pedalar mais! Já estamos pensando em outra rota com as crianças em 2013. Aceitam-Se sugestões e famílias atletas para participar. O ano de 2012 também foi o nascimento do Sport Life Kids Festival, um dia em que maiores e menores, apreciamos a família e o esporte. Moveis e mais anos, os pais esportistas estamos ansiosos para que os nossos filhos cresçam e venham com a gente a treinar, nós somos assim de pesados!

9. Cuidar dos outros. A minha mulher, aos meus pais e irmãs, aos meus filhos, aos meus colegas de trabalho, às minhas amigas de toda a vida… não vos acontece que tendes a sensação de que sobrevivís cada dia, sem tempo para o que importa! Meu sim, me dá raiva pensar que eu sou capaz de tirar um tempo para treinar todos os dias, mas depois não chamo a minha mãe em uma semana… e o que dizer de ficar com meus amigos… os whatssap se acumulam no móvel com encontros em que não posso participar. E é que os anos me fizeram mal-ensinado a priorizar: primeiro o trabalho, crianças e esporte, e não há um minuto para desfrutar, menos para dedicar tempo ao meu… Não sei como vou conseguir este ponto, mas de algo eu tenho que fazer.

10. Não deixar que os anos e a crise me façam perder a inocência e boa-fé. Ai, não sei se vos acontece, mas antes era uma pessoa doce e sensível… ahora não sei de onde saiu essa menina, porque as experiências ruins e a falta de tempo me fizeram mais dura, resabiada e menos simpática. E eu não quero perder minhas esperanças, meu otimismo nem me fazer maior. Peço perdão aos que eu fiz dano, este ano, e peço a 2013 humildade, para continuar a aprender e continuar sorrindo como quando era uma menina.

Leave a Reply